Homenagem

Encontro Verde das Américas

21/09/2009

Defesa do Cerrado nos 50 anos de Brasília marcou abertura do IX Encontro Verde das Américas

Eliana Lucena, de Brasília

Ao defender proteção maior ao Cerrado e à Caatinga, o deputado Rodrigo Rollemberg lamentou que esses dois biomas não contem com a mesma atenção dirigida hoje à Amazônia e lamentou que no Congresso Nacional a PEC do Cerrado e da Caatinga esteja parada, bem como outras proposições de interesse do meio ambiente, como o Plano de Mudanças Climática; a Política Nacional de resíduos Sólidos e o Pagamento pelos Serviços Ambientais. O IX Encontro Verde das Américas ficará marcado como evento neutro carbono, de acordo com Ricardo Arduí, da ONG Prima. Para compensar as emissões de gás carbono decorrentes do uso de combustível, lixo orgânico e energia, durante os trabalhos, os responsáveis pelo Greenmeeting irão plantar 300 árvores, sendo que 160 já foram plantadas no município de Vassouras, no rio de Janeiro.

1 Costa Rica: Fundo Florestal
Costa Rica defende o pagamento dos serviços ambientais
prestados pela floresta

O embaixador da Costa Rica, Jorge Alfredo Robles Aris, defendeu como alternativa para a preservação das florestas o pagamento pelos serviços ambientais, política adotada pelo seu país que cria estímulos aos proprietários de terras que mantém a mata em pé e garantem o seu uso sustentável.

Na Costa Rica, segundo explicou, foi criado um Fundo Nacional de Financiamento Florestal que está ajudando os pequenos produtores a recuperar áreas degradadas. Eles também recebem apoio do governo para a exploração sustentável das áreas onde vivem. “O nosso governo emite um certificado a quem conserva a propriedade e este título é negociável no mercado de valores”, explicou Robles Aris. Ao defender uma política voltada para a proteção das florestas, o embaixador afirmou que “para sobreviver ao século 21 é necessário que o homem siga uma ética diferente do passado, reconhecendo a interdependência entre homens e o meio ambiente”.

2 Dinamarca

O embaixador da Dinamarca, Svend Roed Nielsen, abordou em sua palestra a XV Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas – COP 15, que será realizada em seu país no fim do ano (Copenhague). Para ele, é esperado papel importante do governo brasileiro na apresentação de proposições que contribuam para minimizar os problemas que afetam o clima no Planeta, como o aquecimento global causado pela emissão de gases do efeito estufa na atmosfera.No segundo dia do encontro, foi ouvido, ainda, Ricardo Harduim, da ONG Prima, que falou sobre “Gestão de neutralização de carbono pelo processo de excelência em plantio de florestas”. A ONG é responsável pelo programa de neutralização de carbono do IX Prêmio Verde das Américas.  

3 Palestina pede Paz

O embaixador da Palestina, Ibrahim Mohamed Alzeben, fez um apelo para que os países de todo o mundo ajudem numa solução de paz entre palestinos e judeus, no encerramento do IX Encontro Verde das Américas, realizado em Brasília. “Não podemos pensar em salvar o Planeta, sem que exista paz entre os povos”, alertou o diplomata ao afirmar que os conflitos permanentes representam para o seu país um grave desequilíbrio social e ambiental, com abusos contra a população, destruição de fontes de águas e de terras agricultáveis.

4 Amazônia

A senadora Serys Slhessarenko, em sua palestra, abordou a importância da Amazônia como “pulmão do mundo”, mas cobrou a necessidade de os países ricos pagarem pelos serviços ambientais que a floresta em pé presta a todo o Planeta. Esta posição, segundo adiantou, será defendida pelo Brasil na Conferência Mundial do Clima COP-15, que será realizada, em dezembro, em Copenhague. Para ela, é injusto fazer com que os países em desenvolvimento sejam impedidos de ocupar os seus espaços territoriais – o que, segundo o modelo tradicional de desenvolvimento, pressupõe a retirada da cobertura vegetal nativa – e ainda tenham de arcar com a “renúncia de receitas” decorrente. “Os países desenvolvidos alcançaram essa condição sem demonstrar, em regra, preocupações com a preservação do meio ambiente. Parece justo, portanto, que eles arquem com os custos atuais da preservação ambiental”, defendeu a senadora.

5 Japão

Fora das Américas, mas grande parceiro do continente, o representante do Japão, Tadayuki Miyashita, fez uma apresentação dos instrumentos que o país está utilizando para enfrentar a crise global, ressaltando a importância da economia verde. Entre os programas, ele deu ênfase a energia solar, a reciclagem dos diferentes tipos de materiais, reforçando que em seu país a ordem é aplicar os 3Rs: Reduzir, Reutilizar e Reciclar. O diplomata citou, ainda, a experiência da cidade de Kawasaki, situada próximo de Tóquio, onde esta política está sendo aplicada com bons resultados. “O Japão, mesmo em meio à crise global está reconstruindo a sua economia com base na economia de baixo consumo de carbono”, explicou. A nova economia, defendeu, exige uma maior integração entre os países na busca de soluções para os problemas ambientais.

 

Homenageados de 2009

Cástor Cartelle Guerra

Cástor Cartelle Guerra - Nascido na Galícia, Espanha, veio para o Brasil ainda jovem e tornou-se cidadão brasileiro. Licenciado em letras clássicas, filosofia e ciências naturais, é mestre em geociências e doutor em ciências, tendo dedicado uma parte significativa de sua vida ao ensino e à pesquisa paleontológica. É professor na UFMG e, além de grande número de palestras e cursos em diversas universidades e colégios, tem-se empenhado no trabalho de defesa do meio ambiente como membro do conselho estadual do meio ambiente do estado de Minas Gerais. É presidente da fundação Biodiversitas e membro do conselho da fundação zoobotânica de Belo Horizonte.

Carlos Fernando de M. Delphim

Carlos Fernando de Moura Delphim é Engenheiro-Arquiteto e estudou paisagismo e urbanismo pela UFMG e trabalha hoje com projetos e planejamento para manejo e preservação de sítios de valor paisagístico, histórico, natural, paleontológico e arqueológico. Paisagista favorito de Oscar Niemeyer, já fez para ele vários projetos como o do Memorial da América Latina, em São Paulo, do Superior Tribunal de Justiça, em Brasília, e da Universidade Norte Fluminense. Suas pegadas estão hoje espalhadas por muitas regiões e cidades brasileiras. Elas podem ser encontradas em seus projetos, como o da restauração do Jardim Botânico do Rio bem como em Osaka no Japão.

Thiago de Mello  

Thiago de Mello - Natural de Barreirinha-AM, é um dos poetas mais influentes e respeitados no continente, reconhecido como um ícone da literatura socioambiental e de direitos humanos. Tem obras traduzidas para mais de trinta idiomas. Preso durante a ditadura, exilou-se no Chile, encontrando em Pablo Neruda um amigo e colaborador. Um traduziu a obra do outro. No exílio, morou na Argentina, Chile, Portugal, França, Alemanha. Com o fim do regime militar, voltou a sua cidade natal, Barreirinha, onde vive até hoje. Seu poema mais conhecido é Os Estatutos do Homem, onde o poeta chama a atenção do leitor para os valores simples da natureza humana.

Maria Elisa Costa

Maria Elisa Costa - Filha de um dos maiores urbanistas do mundo, Lucio Costa, Maria Elisa seguiu o mesmo caminho do pai. Formou-se em arquitetura na Faculdade Nacional de Arquitetura da Universidade do Brasil, no Rio de Janeiro. Atualmente, coordena o acervo da Casa de Lucio Costa. Recentemente, deixou o cargo de Presidente do IPHAN, o qual ocupava desde 2003. Destacam-se na sua produção profissional o desenvolvimento de projetos para a Universidade Regional do Cariri – Urca, Crato/CE, em parceria com Marcelo Suzuki, e o estudo para revitalização dos setores comercial, hoteleiro e de diversões sul de Brasília.

Mercedes Bustamante

Mercedes Bustamante - Chilena de nascimento e criada no Rio de Janeiro, é em Brasília que a bióloga Mercedes Bustamante exerce a docência universitária. Professora da Universidade de Brasília (UnB), com doutorado em Geobotânica na Universitat Trier (Alemanha), é uma das cientistas que mais têm pesquisas sobre o Cerrado. No currículo, são 27 artigos publicados e seis capítulos de livros. Já orientou diversas  teses de doutorado e dissertações de mestrado. Em 2007, recebeu do Prêmio Cláudia, em São Paulo, o título Mulher do Ano na categoria Ciências pelos estudos sobre o bioma que ocupa 22% do Brasil, predominantemente no centro do País.

MV Bill

MV Bill é um escritor e cantor de rap brasileiro, nascido na Cidade de Deus, Rio de Janeiro. O músico participou da coletânea Tiro Inicial, que revelou novos talentos do rap brasileiro tais como Gabriel, o Pensador, em 1993, ainda como integrante de um grupo. Antes de se decidir pelo rap, Bill chegou a cantar um samba-enredo composto por seu pai na quadra de uma escola de samba. Mais tarde adotou a alcunha de MV (Mensageiro da Verdade) Bill. (Bill é um apelido de infância, referência a ”Rato Bill” – desenho de um rato que vinha em figurinhas de chiclete durante a Copa do Mundo de 82). MV Bill esteve no Haiti a convite das Forças Armadas brasileiras, que estão em missão de Paz da ONU no país.