FOLHA DO MEIO

HÁ 31 ANOS

30 de Julho de 2020

1989 – 2019

Da redação

 

 

Ministro da Cultura: Meio Ambiente também é Cultura
 
Para o ministro da Cultura, José Aparecido de Oliveira, é da maior importância que o Ministério e as secretarias de Cultura de todos os estados assumam também a responsabilidade das questões ambientais, inclusive da cultura indígena. Acrescentou José Aparecido: "Todos devem estar atentos aos problemas ambientais, porque as diferentes culturas são, em grande parte, reflexo do ambiente em que se desenvolvem".
"Não é possível ocultar o aspecto anticultural da depredação da natureza, quando temos queimadas criminosas, rios poluídos, fauna dizimada e a flora exposta a procedimentos verdadeiramente criminosos. A modificação constante da paisagem natural, sendo substituída pelo avanço tecnológico desequilibrado, tem produzido graves desastres ecológicos", lembrou José Aparecido de Oliveira.
 
 
PAULO NOGUEIRA QUER FUNDO GERENCIADO PELA ONU
 
Criar um fundo internacional, constituído por parte da dívida externa, com recursos da ordem de 1 a 2 bilhões de dólares por ano, gerenciado pela ONU, foi a proposta apresentada por Paulo Nogueira-Neto, professor da USP e primeiro secretário Nacional do Meio Ambiente. Para Paulo Nogueira Neto, esse é o caminho mais rápido para se obter divisas para atacar os problemas ambientais do mundo.
 
Esse fundo integraria os países desenvolvidos e em desenvolvimento, com quotas distintas, onde os juros seriam utilizados para fins ambientais, saúde e educação.
 
"O mundo precisa de ideias práticas que não onerem apenas um lado, enquanto um outro lado se beneficia", argumenta Paulo Nogueira-Neto e acrescenta: "A Amazônia é o caso mais urgente, tanto para o Brasil, quanto para o mundo".
 
Para a região norte, o ambientalista e professor da USP entende que o Brasil deve trabalhar em três frentes prioritárias: a primeira é o ordenamento territorial ou zooneamento ecológico econômico. O segundo diz respeito à ocupação da área, levando em conta a experiência frustrada. E o terceiro, é um estudo dos impactos climáticos, já que as mudanças nesse setor podem ser bastante rápidas.
 
 
FOLHA DO MEIO
1989 – 2020
HÁ 31 ANOS